Seja bem vindo
Petrópolis,26/02/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Parlamento juvenil da Alerj aprova projeto que amplia locais de provas de concursos públicos

Outros três projetos desenvolvidos pelos deputados estaduais juvenis também foram escolhidos e podem se tornar leis no Estado do Rio


Parlamento juvenil da Alerj aprova projeto que amplia locais de provas de concursos públicos Thiago Lontra

A sessão de encerramento da 14ª edição do Parlamento Juvenil (PJ) foi realizada nesta sexta-feira (1°), no plenário do Edifício Lúcio Costa, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). A iniciativa é uma parceria com a Secretaria de Educação (Seeduc) e tem como objetivo incentivar o interesse dos alunos do ensino médio pelo trabalho legislativo. Os jovens deputados elegeram quatro ideias de medidas parlamentares (duas delas ficaram empatadas na terceira posição) que serão votadas pela Alerj e poderão se tornar lei estaduais. A proposição vencedora é de autoria dos alunos Isadora Ximenes e Victor Hugo Bueno, de São José de Ubá e Miracema, e propõe a realização de provas de concursos públicos em pelo menos um município de cada região do estado.

O objetivo dos adolescentes autores é expandir as áreas de aplicação das provas, que normalmente são concentradas na Região Metropolitana, e garantir a isonomia entre os concorrentes. Emocionada por ter o projeto mais votado, Isadora agradeceu pelo apoio dos colegas. “Estou muito feliz e espero promover, através do nosso projeto, oportunidades igualitárias de atuação para os cidadãos do interior do estado, que muitas vezes têm dificuldades de locomoção para os locais de aplicação de exames”, pontuou Isadora.

Outra proposta aprovada cria o Programa ResgatArte nas escolas para promover aos alunos desenvolvimento emocional e cognitivo através da exploração de atividades artísticas. Segundo o autor, Gabriel Mariano, natural do município de Carmo, a cultura é capaz de transformar a realidade social e precisa ser incentivada entre adolescentes. “É uma vitória que um projeto como esse tenha chegado em segundo lugar. A arte e a educação podem andar lado a lado contribuindo para o desenvolvimento da sociedade, sobretudo na formação de nossas crianças e jovens”, explicou.

Duas sugestões empataram em terceiro lugar. A jovem Alexandra Marins, de Guapimirim, apresentou 0 projeto que estabelece diretrizes para a digitalização de ficha acadêmica e histórico escolar na rede pública estadual. O sistema Ficha do Aluno tem, segundo a autora, o objetivo de facilitar o acesso aos dados escolares dos alunos. "Simplificar esses processos burocráticos, tanto para o aluno, tanto para a comunidade escolar como um todo, vai ser de grande benefício para a sociedade", afirmou.

A segunda proposição que empatou é de autoria da aluna Milena Serpa, da cidade de Nilópolis, cria o Programa Zelando por Amor, com objetivo de promover 0 trabalho voluntário de estudantes da rede pública em casas de cuidado para idosos. "Acredito que meus colegas votaram no projeto porque ele promove, acima de tudo, o afeto e o cuidado. Espero que a população mais velha beneficiada pela iniciativa tenha uma qualidade de vida muito maior a partir da companhia dos voluntários", comentou.

0 deputado Danniel Librelon (REP), coordenador do Parlamento Juvenil, apontou o potencial transformador dos projetos de lei de autoria estudantil. "Os jovens são inovadores e trazem esperança. Eles visitam a Assembleia não só com o conhecimento teórico de criação de leis, mas também com a bagagem pessoal de cada um. Isso é de suma importância, porque cada um conhece a necessidade do seu município e da sua escola", disse.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.