Seja bem vindo
Petrópolis,04/03/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Procon-RJ instaura novo processo contra empresa organizadora de shows da cantora Taylor Swift no Rio

A autarquia também instaura ato sancionatório em procedimento que apura cambismo virtual de ingressos pelo site Viagogo


Procon-RJ instaura novo processo contra empresa organizadora de shows da cantora Taylor Swift no Rio Luiza Souto/Splash

O Procon do Estado do Rio de Janeiro instaurou, na última quinta-feira (30), ato de investigação preliminar contra a T4F Entretenimento (Time For Fun), organizadora do show da cantora Taylor Swift, para apurar falhas na comercialização dos ingressos para o evento. Os shows ocorreram entre os dias 17 e 20 de novembro, no Estádio Nilton Santos (Engenhão). Este foi o segundo procedimento instaurado pelo Procon-RJ contra a T4F, o outro processo trata das condições da realização do primeiro dia de evento.

Também na última quinta-feira, o Procon-RJ instaurou processo administrativo sancionatório contra a empresa responsável no Brasil pelo site Viagogo, plataforma de venda de ingressos para os shows da cantora. A ação foi motivada devido à ausência de resposta aos questionamentos realizados pela autarquia que buscavam esclarecer a forma de atuação do site e verificar o cumprimento dos direitos dos consumidores.

Segundo o Procon-RJ, os ingressos acabaram algumas poucas horas após o início da venda e, logo em seguida, a empresa Viagogo ofertou uma quantidade grande disponível até pelo triplo do preço. A resposta apresentada pela T4F será analisada pelos especialistas da autarquia. Caso seja identificada violação às normas de proteção e defesa do consumidor, será instaurado processo sancionatório.

No caso da Viagogo, foi instaurado ato sancionatório devido ao descumprimento de atendimento às notificações do Procon-RJ para que fossem prestadas informações sobre questões de interesse dos consumidores.

"O Procon-RJ está sempre atento às diversas demandas dos consumidores. É preciso que os fornecedores se preparem cada dia mais para atender, de forma eficaz, ao público desses grandes eventos realizados no Estado do Rio de Janeiro", ressalta Cássio Coelho, presidente do Procon-RJ.

Ao final do processo administrativo sancionatório, as empresas poderão, cada uma, receber multa de até R$ 13 milhões e até mesmo serem proibidas dessa prática de venda de ingressos no Estado do Rio de Janeiro.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.