Seja bem vindo
Petrópolis,27/02/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

FAB presta ajuda à Força Aérea Colombiana após desastre

A aeronave multimissão decolou da Base Aérea de Anápolis (BAAN)


FAB presta ajuda à Força Aérea Colombiana após desastre Foto: Divulgação

Com 204 incêndios por mês e cerca de oito por dia, além de centenas de pessoas atingidas, a situação de desastre natural que assola a Colômbia depois que os incêndios florestais atingiram todo o país é preocupante. Em meio a essa crise ambiental sem precedentes, a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou uma missão de colaboração com a Força Aérea Colombiana (FAC).


Logo que acionada, no dia 31/01, a FAB, reconhecendo a magnitude do desastre, mobilizou uma aeronave KC-390 Millenium, operada pelo 1º Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) – Esquadrão Zeus, para participar dessa missão. A aeronave multimissão decolou da Base Aérea de Anápolis (BAAN) – equipada com o Sistema Modular Aerotransportável de Combate a Incêndios (MAFFS II, sigla em inglês para Modular Airborne Fire Fighting System), essencial para realizar ações de Combate a Incêndio em Voo – com destino à Base Aérea do Galeão (BAGL).


Na capital do estado do Rio de Janeiro, uma aeronave C-130 da FAC estava à espera da aeronave brasileira para assim ser equipada com o sistema MAFFS I da FAB e seguir de volta ao aeroporto colombiano de El Dorado (SKBO), o maior e mais importante da Colômbia, para, então, iniciar o combate aos incêndios que apresentam focos em diversas áreas do país.


A bordo, encontravam-se militares do efetivo da BAAN e da BAGL que participaram do processo de preparação e testes do Sistema MAFFS na aeronave colombiana, cuja coordenação ficou a cargo da Segunda Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica e do Comando de Operações Aeroespaciais. O transporte do Sistema viabiliza que a Colômbia eleve suas capacidades de combate a incêndios florestais, sendo um importante aliado para a preservação das florestas, como por exemplo, a Floresta Amazônica existente nos territórios dos países.


O Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1º/1º GT) – Esquadrão Gordo, também ficou responsável pela instalação dos equipamentos a serem enviados à Colômbia. De acordo com o Comandante do Esquadrão Gordo, Tenente-Coronel Umile Coelho Rende, o sistema pode ser rapidamente instalado ou removido do compartimento de carga da aeronave, uma vez que sua estrutura foi projetada de forma a tornar eficiente sua instalação e a desinstalação na aeronave, o que leva em torno de 3 horas para a completa montagem ou desmontagem do vetor aéreo. Para essa missão, o conjunto de proteção ambiental disponibilizado tem 16 metros de comprimento e capacidade para o lançamento de 12.000 litros de água e retardante de fogo.


“O sistema foi instalado na aeronave C-130 da Colômbia com o suporte da Base Aérea do Galeão. As conexões elétricas e estruturais do aparelho foram adaptadas de forma a compatibilizar o equipamento brasileiro com o avião estrangeiro, além disso, uma equipe de técnicos da FAB prestou todo o apoio às operações de solo da aeronave e do equipamento e seguiu a bordo da aeronave para prestar todo o auxílio caso fosse preciso”, explicou o Comandante do 1º/1º GT.


Já o Comandante da aeronave KC-390 empregada na missão, Major Aviador Anderson Dias, destacou que participar desta ação ratifica a vocação do 1º GTT em realizar transportes com pronta resposta, auxiliando em demandas nacionais e internacionais. “Essa missão demonstra as capacidades, por meio do KC-390, de suportar demandas de cooperação entre o Brasil e seus países vizinhos sempre que necessário, sendo motivo de grande orgulho para nós tripulantes”, explica.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.