Seja bem vindo
Petrópolis,20/07/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Seeduc distribui mais de 130 mil vales-livros para alunos e professores utilizarem na LER

Festival literário começou nesta segunda-feira, tendo o estande da secretaria como uma das atrações


Seeduc distribui mais de 130 mil vales-livros para alunos e professores utilizarem na LER Foto: Bruno da Matta/Seeduc-RJ
Publicidade

Mais de 130 mil vales-livros foram distribuídos pela Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc-RJ) para estudantes e professores da rede estadual de ensino utilizarem na LER – Festival do Leitor, que abriu as portas nesta segunda-feira (24/06), no Píer Mauá, Região Portuária do Rio. Os créditos variam de R$ 50 a R$ 100. No evento, a secretaria também terá um estande repleto de novidades e muita diversão para os jovens, reunindo equipamentos como vídeo 360° e mesas interativas para educação especial.

– Estamos contribuindo para que alunos e professores possam adquirir novos títulos da literatura. Mas, muito mais do que um espaço para compra de livros, a LER é um local de encantamento e descoberta de novos leitores. O festival é uma grande passagem para o conhecimento. Quem lê bem escreve bem. Um dos grandes segredos do Enem é a redação, e uma boa pontuação nesta etapa abre muitas portas – disse a secretária de Estado de Educação, Roberta Barreto, na abertura do evento.

A LER – Festival do Leitor tem o objetivo de despertar a paixão pela leitura, oferecendo diversas atividades em diferentes linguagens. Nesta edição, serão mais de 1.600 artistas, autores e ilustradores participando do evento, em mais de 100 palcos, espaços e experiências distribuídos em 60 mil metros quadrados de área nos galpões do Píer Mauá. A expectativa é que mais de 250 mil pessoas visitem o evento.

Uma das atrações do primeiro dia do festival foi a escritora infantojuvenil Roseana Murray. Em abril deste ano, ela foi atacada por três pitbulls, perto de casa, em Saquarema, na Região dos Lagos, passou por várias cirurgias e perdeu um braço. Mas ela não desistiu de sua arte e vai lançar o livro ‘O Braço Mágico’.

– Que espaço maravilhoso! A literatura deve ser matéria obrigatória. Sugiro sempre clube de leitura nas escolas que, tenho certeza, diminui a evasão, e também que se tenha uma hora de conversa. O colégio deve cativar isso – afirmou a escritora.

Com muitas novidades tecnológicas e espaços diferenciados, o festival conta com uma programação eclética, que promete atrair a atenção de estudantes e professores.

– É muito importante esse evento para estimular os alunos a lerem, a ver literaturas variadas e também compartilhar com outras escolas - concluiu o professor de Biologia Carlos Roberto.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.